quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Semana de Jornalismo da UFCA abre vagas para cinco oficinas gratuitas

O curso de Jornalismo da Universidade Federal do Cariri (UFCA) está com vagas abertas para cinco oficinas gratuitas que irão ocorrer durante a sexta edição da Semana de Jornalismo do Cariri, entre os dias 18 e 21 deste mês. Para participar das oficinas é necessário realizar a inscrição no evento e na oficina que deseja. As inscrições seguem até o dia 16 de outubro e podem ser feitas através deste link. Tanto as mesas quanto as oficinas do evento são abertas ao público em geral e todos os participantes inscritos que comprovarem frequência irão receber certificado emitido pela instituição.

Embora tenham como público-alvo estudantes de jornalismo e jornalistas profissionais, as oficinas da Semana de Jornalismo do Cariri são abertas a qualquer pessoa interessada na área. Em uma das oficinas, a jornalista, professora e colunista do The Intercept, Fabiana Moraes, vai abordar a produção de pautas jornalísticas mais humanizadas. A pauta é o instrumento que orienta o trabalho do jornalista, contendo informações que direcionam e guiam o tipo de entrevista, o tema e o modo como o profissional deve conduzir sua matéria ou reportagem.

Vencedora de vários prêmios, entre eles três Esso de Jornalismo, professora e pesquisadora do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Fabiana Moraes vai participar presencialmente da Semana de Jornalismo realizada pela UFCA. Na ocasião, além da Oficina de Produção de Pauta, ela será debatedora em uma das mesas do evento e irá lançar seu último livro A Pauta é uma arma de combate. “Pensando como professora de uma Universidade Federal cujo campus está em Caruaru, essa questão da expansão das universidades para o interior dos estados é também uma forma revolucionária de pensar a educação pública e o acesso ao ensino superior. O lançamento do livro tem tudo a ver com essa questão, estamos falando sobre a necessidade de mudanças que venham de fato promover um ambiente mais democrático e inclusivo”, destaca Fabiana.

Além da oficina de Produção de Pauta, a Semana de Jornalismo do Cariri terá também uma oficina sobre jornalismo investigativo, ministrada pelo presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Ceará (Sindjorce) e diretor da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Rafael Mesquita, de Escritas Afetivas, com o jornalista e professor da UFCA, Luan Matheus Santanna, e de Curadoria como prática política, com o escritor e curador de arte contemporânea, Moacir dos Anjos, além do lançamento do livro “Quantas histórias cabem dentro da Tarrafa?” de Wesley Vasconcelos e distribuição de cartilhas da Revista Memórias Kariri, produzida por estudantes do curso de Jornalismo da UFCA.

A VI Semana de Jornalismo acontecerá entre os dias 18 e 21 deste mês e irá tratar do tema “Mídia e Democracia”. A programação do evento inclui mesas-redondas, oficinas e programação cultural. Todas as oficinas serão presencias e a confirmação das inscrições está condicionada ao número de vagas disponível para cada atividade. Todos os inscritos receberão por e-mail a confirmação das inscrições e as orientações quanto ao recebimento dos certificados.

Confira a programação detalhada das oficinas

TERÇA-FEIRA, 18 DE OUTUBRO

Encontro das revistas Corte Seco e Memórias Kariri

Lançamento do livro “Quantas histórias cabem dentro da Tarrafa?” de Wesley Vasconcelos. Distribuição de cartilhas da Revista Memórias Kariri, com objetivo de levar conhecimento acerca da região do Cariri numa linguagem acessível e pedagógica através de adaptações de matérias publicadas. Pré-lançamento do Almanaque da Revista Corte Seco.

Horário: 14h às 16h

Instrutor da oficina: Integrantes que compõe as revistas e o escritor Wesley Vasconcelos

QUARTA-FEIRA, 19 DE OUTUBRO

Procedimentos de segurança para o jornalismo investigativo

Dicas, orientações e cuidados que os jornalistas devem ter ao apurar informações que podem colocá-los em risco. Levando em consideração os ataques violentos ao jornalismo, procedimentos de segurança e ética são necessários para a atuação do jornalismo investigativo. Apresentação das diretrizes do Protocolo de Segurança para Jornalistas e de sugestões para atuação nacional e internacional.

Horário: 14h às 16h

Instrutor da oficina: Rafael Mesquita é presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce), mestre e doutorando em comunicação no Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Ceará (UFC). Também integra a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ).

QUINTA-FEIRA, 20 DE OUTUBRO

Escritas afetivas: jornalismos popular e literário

Reflexões e exercícios sobre as possibilidades emergentes e urgentes nas escritas afetivas, apontando um outro olhar frente aos velhos formatos. Durante muito tempo foi ensinado que os afetos são dispensáveis na escrita jornalística. A objetividade e a ciência ocidental nos aprisionaram em saber-fazer que, antes de ser um modo de homogeneização das dinâmicas sociais, é um caminho que limita nossas possibilidades.

Horário: 16h às 18h

Instrutor da oficina: Luan Matheus Santanna (UFCA) é jornalista, educomunicador popular e doutorando em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da UFC (PPGCOM-UFC). Mestre em comunicação social pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da UFPI (PPGCOM – UFPI) e Especialista em Marketing e Mídias Digitais pela Faculdade Adelmar Rosado (Pós FAR). É educomunicador popular pela Plataforma Ocorre Diário.

SEXTA-FEIRA, 21 DE OUTUBRO

Produção de pauta

Produção de pauta como tecnologia de transformação, oficina baseada no livro de Fabiana Moraes “A pauta é uma arma de combate” que será lançado na última mesa-redonda do evento.

Horário: 14h às 16h

Instrutora da oficina: Fabiana Moraes é jornalista, escritora, professora na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), colunista no The Intercept e conselheira na Agência Pública. É vencedora de três prêmios Esso, recebeu ainda o Prêmio Petrobrás de Jornalismo.

Curadoria como prática política

Introdução a aspectos teóricos e práticos do exercício da curadoria em artes visuais. De que maneiras a organização de exposições pode se vincular ao ambiente social e político no qual está inserida ou sobre o qual se debruça? Como as exposições podem impactar nos contextos sociais onde são apresentadas? Curadoria e censura.

Horário: 16h às 18h

Instrutor da oficina: Moacir dos Anjos (FUNDAJ) é pesquisador e curador de arte contemporânea da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife. Foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães – MAMAM (2001-2006) e pesquisador visitante no centro de pesquisa TrAIN – Transnational Art, Identity and Nation, University of the Arts London (2008-2009). Foi curador do pavilhão brasileiro na Bienal de Veneza (2011), curador da Bienal de São Paulo (2010), co-curador da Bienal do Mercosul, PoA (2007) e curador do Panorama da Arte Brasileira, MAM SP (2007). É autor, entre outros, dos livros Local/Global. Arte em Trânsito (2005) e ArteBra Crítica.

Outros Posts