domingo, 03 de março de 2024

Professora e cuidador constroem barril do Chaves para estimular aluno autista

Para estimular a aprendizagem de um aluno com autismo, a professora do Atendimento Educacional Especializado – AEE, da Escola Municipal Mário da Silva Bem, Licalle Rocha, promoveu uma estratégia criativa para garantir a permanência de um estudante em sala de aula.

Raphael Silva, aluno do 3º ano do Ensino Fundamental, possui autismo com hiperfoco no personagem Chaves. A docente explica que essa característica está atrelada ao extremo interesse e foco em assuntos específicos. Nessa perspectiva, surgiu a ideia de inserir algum elemento que chamasse a atenção da criança, incentivando o gosto pelo ambiente de aprendizagem.

A professora explica que a ideia de construir o barril do Chaves surgiu como uma estratégia para que o estudante permanecesse junto aos colegas em sala de aula, já que ele apresentava resistência.

Em 2022, o cuidador que acompanhava Raphael identificou o hiperfoco da criança pelo programa televisivo mexicano e já começou a abordar itens que promovessem a identificação do chaves no cotidiano escolar do aluno. O profissional deu ao estudante o elemento mais característico do personagem: o chapéu. Raphael frequenta a escola com o objeto na cabeça. Com o trabalho de parceria da professora junto ao do cuidador, a criança é estimulada e motivada a desenvolver habilidades básicas que impactam positivamente na sua aprendizagem.

A ideia do barril foi colocada em prática com a parceria do novo profissional que acompanha Raphael, Tiago Feitosa, que por meio de doação, conseguiu o objeto para confecção do barril.

Nesta semana, Raphael teve contato pela primeira vez com uma estratégia inovadora e não escondeu sua alegria. “De imediato, ele já entrou na sala e seguiu direto para o local, reproduzindo muitos gestos de felicidade”.

A mãe de Raphael, Cícera Torres, ressalta a importância da ação na vida do filho. “Ele adora ir para escola, gosta muito do ambiente, dos colegas e professores, com essa novidade ele não para de fazer os gestos que identificam que ele está alegre. Fico muito feliz com todo esse olhar que estão tendo com meu filho e é também uma forma de incentivar outros profissionais”, afirma.

Outros Posts