segunda-feira, 22 de julho de 2024

Nutrição é importante aliada no tratamento de doenças infecciosas e auxilia no fortalecimento da imunidade

Gleison Pires, 36 anos, deu entrada no Hospital São José (HSJ), da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), no último dia 16 de setembro. Em decorrência de uma dor de garganta que não passava, ele perdeu cerca de 10kg em três meses. Na unidade, após início do tratamento e acompanhamento nutricional, ele já voltou a se alimentar normalmente.

“Eu acho a comida muito boa, a equipe também é muito boa. Estão de parabéns. Eu também estava com fome”, confessa, entre risos. Sua amiga, Elian Sales, complementa, aliviada: “Que bom que ele estava com fome, porque ele não estava comendo, ele só beliscava”.

Uma dieta equilibrada e adequada às necessidades do paciente pode ser uma importante aliada no tratamento de uma doença, acelerando a recuperação e fornecendo nutrientes essenciais para o fortalecimento do sistema imunológico. A equipe de Nutrição do HSJ dedica especial atenção a cada paciente internado na unidade, com dietas personalizadas e avaliações periódicas.

Cintia Galeno integra o quadro de 17 nutricionistas que atuam no Hospital São José e prescrevem, avaliam e supervisionam a dieta dos pacientes hospitalizados. Após a admissão do paciente na unidade, segundo ela, é realizada uma triagem nutricional, a partir da qual o profissional identifica se o indivíduo está em risco nutricional.

Além disso, o nutricionista verifica se há presença de alguma doença crônica, como diabetes ou hipertensão, e se houve perda de peso recente. O profissional realiza, ainda, uma avaliação antropométrica, na qual são colhidos dados como peso e altura a fim de observar a evolução do paciente durante a internação.

Já nas enfermarias, os nutricionistas fazem visitas diárias para verificar se o paciente está tolerando a dieta, teve sintomas como náusea, vômito, diarreia, ou apresentou alguma dificuldade ao deglutir. “A cada sete dias, nós aferimos o peso do paciente e as circunferências do braço e da panturrilha, porque essas medidas nos ajudam a avaliar o estado nutricional do paciente”, explica Galeno.

Atendimento humanizado e personalizado

Entre os perfis de pacientes acolhidos pelo Hospital São José, estão os pacientes que vivem com HIV/aids, que demandam cuidados específicos. “O HIV é uma doença imunossupressora, e o nosso intestino é um sítio imunológico — muitas células CD4 (principal alvo do vírus HIV) estão no nosso intestino. Isso faz com que nossos pacientes tenham muitos sintomas gastrointestinais, que precisamos manejar para melhorar a qualidade de vida deles, na internação e após a alta hospitalar”, ressalta Cintia Galeno.

Lucas [nome fictício], 22 anos, tem sarcoma de Kaposi, um tipo de câncer que afeta pessoas com deficiências imunológicas, como HIV ou aids. Paciente do Serviço Especializado de Cuidados Paliativos do HSJ, ele destaca o atendimento humanizado da equipe de Nutrição, que já liberou comidas como salada de frutas com leite condensado em sua dieta. “Desde que cheguei aqui, tenho sido muito bem atendido pela Nutrição. Não tenho do que reclamar, eles sempre fazem o possível para melhorar a vida do paciente”, relata.

Outro perfil atendido pela unidade é o de pacientes com tuberculose, cujos sintomas incluem cansaço, falta de ar e acentuada perda de peso. “São pacientes bem desnutridos pelo hipercatabolismo da inflamação da própria doença”, pontua a nutricionista. Por isso, esses pacientes necessitam de atenção especial, com uso de suplementação. “A gente consegue incrementar vitaminas, sucos e sopas com módulos de proteína. Essa quantidade proteica a mais ajuda no ganho e no restabelecimento da massa magra”, afirma.

Outros Posts