sábado, 02 de março de 2024

Janeiro Roxo: Secretaria de Saúde realiza atividades de conscientização sobre hanseníase

Em alusão ao Janeiro Roxo, mês dedicado à conscientização e combate à hanseníase, a Secretaria de Saúde de Barbalha tem intensificado as ações educativas de combate e conscientização da doença nos postos de saúde do município. O objetivo da campanha é fortalecer a vigilância, prevenção e controle da Hanseníase.

Dentre as ações previstas, as equipes das Unidades Básicas estão organizando palestras educativas e apresentações lúdicas sobre a temática, além da busca ativa de sintomáticos dermatológicos. De acordo com a coordenadora da Unidade Básica Central de Barbalha, Nádia Melo, a população ainda tem a impressão que a doença foi erradicada, por isso, é necessário conscientizar. “Por isso, realizamos esses momentos para informá-los e apresentar sobre a doença e quais as orientações necessárias que eles precisam realizar caso tenham suspeita de Hanseníase”, disse Nádia.

Estudantes de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) têm participado das ações ao longo de toda a semana. “Nosso objetivo é abordar sobre o Janeiro Roxo de maneira lúdica e que fizesse as pessoas entenderem a importância de prevenir, cuidar e tratar da doença. Estamos recebendo um ótimo feedback, porque as pessoas estão tirando dúvidas e indo procurar o atendimento à saúde. Importante ressaltar que a Hanseníase tem cura, por isso é necessário tratar, cuidar e prevenir a doença”, destacou a estudante Rebeca Rodrigues.

A dona de casa Janete Maria aproveitou a consulta com um profissional de saúde e se informou sobre a Hanseníase. “Primeira vez que acompanho a palestra sobre a doença e acho muito interessante. Nem todos sabem ou conhecem os sintomas da hanseníase. É importante repassar para que as pessoas fiquem informadas”, afirmou Janete.

Sobre a doença

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa que atinge a pele e os nervos, podendo causar deformidades físicas. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra por meio próximo e prolongado, através de tosse e espirro.

A partir do contágio, o aparecimento dos sinais e sintomas pode demorar, chegando a variar de dois até mais de 10 anos. O tratamento da doença deve ser iniciado imediatamente após a confirmação do diagnóstico. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores serão as chances de evitar qualquer deformação.

Entre os principais sintomas estão o surgimento de manchas, perda da sensibilidade, perda de pelos, sensação de choque e fisgada nos nervos, além de dormência nas extremidades.

Outros Posts