domingo, 03 de março de 2024

Hidrogênio Verde: “O Brasil não pode perder competitividade”, destaca o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico

Em audiência pública realizada no Senado Federal, nessa quarta-feira (24), o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico (SDE), Salmito Filho, destacou o trabalho que o Governo do Ceará está desenvolvendo para fazer do estado a casa do hidrogênio verde (H2V). O secretário representou o governador Elmano de Freitas. Na condução dos trabalhos, estava o senador Cid Gomes, presidente da Comissão Especial criada com a finalidade de debater políticas públicas do H2V.

Para Salmito Filho, não resta dúvida que “essa Comissão pode cumprir o papel importantíssimo de provocar, de chamar o Governo Federal, o Ministério das Minas e Energia para que possamos avançar em um plano estratégico de H2V nacional”. Ele acrescentou que o Brasil precisa de um plano nacional com visão de futuro claro, conclusivo, com etapas e prazos definidos e com diretrizes e metas. “As cifras são colossais, a oportunidade é histórica e o Brasil não pode perder competitividade”, alertou o secretário, ressaltando ser essa a maior oportunidade da história econômica do país.

“Temos uma meta com o Porto de Roterdã (Holanda), um dos mais importantes da Europa, de produzir um milhão de toneladas de H2V até 2030”, disse Salmito, ressaltando que o Ceará, em três anos, já deverá começar a se preparar para produzir H2V em larga escala. “Esse projeto é para hoje. Precisamos começar”, reforçou. Salmito ainda declarou que o governador Elmano de Freitas enxerga, encara e trabalha em defesa da unidade do Nordeste e do Brasil. “Há um decreto do Governo do Ceará que determina que toda energia renovável produzida fora do Ceará e que entrar no estado para produzir H2V tem o mesmo incentivo e subsídio da energia renovável produzida no Ceará. Segundo ele, isso demonstra a compreensão do governador de que o Nordeste e o Brasil precisam estar unidos em torno dessa oportunidade histórica”.

Além do resgate da história do H2V no Ceará, Salmito falou sobre os 30 Memorandos de Intenção assinados com empresas que estão avaliando investir no Ceará, sobre as 80 indústrias já instaladas no Complexo do Pecém e sobre a área da Zona de Processamento de Exportação planejada para receber novas plantas industriais. Ele apresentou ainda as estratégias nacionais de H2V do Japão, Chile e Uruguai e lembrou que ainda existem as da África do Sul, da Espanha e dos EUA. Todas com metas, prazos e valores.

Participaram também da mesa Daniel Lamassa, secretário adjunto de Minas e Energia do RJ; o senador Fernando Dueire (MDB-PE); e Guilherme Cavalcanti, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

Outros Posts