segunda-feira, 17 de junho de 2024

Entenda como funciona o isolamento na atual fase da pandemia da Covid-19

O Brasil teve um aumento nos casos de Covid-19 nas últimas semanas. Estima-se que a introdução de uma subvariante da Ômicron, BQ.1, mais transmissível, possa estar por trás da nova onda de infecções pelo coronavírus. Entre as medidas de prevenção e controle recomendadas pelo Ministério da Saúde, estão aquelas chamadas não farmacológicas: distanciamento físico, etiqueta respiratória, higienização das mãos, uso de máscaras, limpeza e desinfeção de ambientes, isolamento de casos suspeitos e confirmados, bem como a quarentena dos seus contatos.

Isolamento e quarentena são diferente

Ambos são estratégias de saúde pública que visam proteger a população e evitar a disseminação de doenças contagiosas, como a Covid-19. Mas enquanto o isolamento separa os infectados dos não infectados no período de transmissão da doença, para que o vírus não se espalhe, a quarentena restringe a circulação de pessoas que foram expostas a uma doença contagiosa e podem ficar doentes, segundo o Ministério da Saúde.

Tempo de isolamento necessário contra Covid-19

As orientações sobre o prazo de isolamento variam de acordo com a apresentação de sintomas e resultados dos testes de diagnóstico. Para pessoas com quadro de síndrome gripal leve a moderado – com confirmação para Covid-19 por critérios clínicos ou laboratoriais ou que ainda não coletaram amostra para investigação, as medidas de isolamento e precaução devem iniciar imediatamente e só podem ser suspensas após 10 dias da data de início dos sintomas, desde que permaneçam sem febre e sem o uso de medicamentos antitérmicos há pelo menos 24 horas e com desaparecimento dos sintomas respiratórios.

De acordo com o Ministério da Saúde, aqueles que realizarem testagem (RT-PCR ou teste rápido de antígeno) para Covid-19 com resultado negativo no 5º dia, poderão sair do isolamento, antes do prazo de sete dias, desde que não apresente sintomas respiratórios e febre há pelo menos 24 horas e sem o uso de antitérmicos. Se o resultado for positivo, é necessário permanecer em isolamento por 10 dias a contar do início dos sintomas.

Aqueles que no 7º dia ainda apresentem sintomas, devem realizar a testagem. Caso o resultado seja negativo, a pessoa deverá aguardar 24 horas sem sintomas respiratórios e febre, e sem o uso de antitérmico, para sair do isolamento. Com o diagnóstico positivo, deverá ser mantido o isolamento por pelo menos 10 dias contados a partir do início dos sintomas, sendo liberado do isolamento desde que não apresente sintomas respiratórios e febre, e sem o uso de antitérmico, há pelo menos 24h.

Quando o isolamento pode ser reduzido?

Cenário 1: o isolamento poderá ser suspenso no 7º dia completo do início dos sintomas se estiver o paciente estiver sem febre e sem o uso antitérmicos há pelo menos 24 horas e com remissão dos sintomas, sem a necessidade de realizar testes. Devem ser mantidas as medidas adicionais até o 10º dia completo do início dos sintomas.

Cenário 2: em caso de permanência de sintomas respiratórios ou febre no 7º dia completo após o início dos sintomas, deve ser mantido o isolamento até o 10º dia completo do início dos sintomas. A medida só poderá ser suspensa com o cessar da febre e de antitérmicos há pelo menos 24 horas e com remissão dos sintomas respiratórios.

Cenário 3: caso o indivíduo tenha acesso à testagem, o isolamento poderá ser suspenso no 5º dia completo do início dos sintomas, nas mesmas condições sobre febre, uso de antitérmicos, ausência dos sintomas, acrescido do resultado não detectado em testes. Devem ser mantidas as medidas adicionais até o 10º dia completo do início dos sintomas.

Cenário 4: pessoas sem sintomas no 5º dia completo do início dos sintomas e que apresentem resultado detectado para PCR ou reagente para TR-Ag, deve ser mantido o isolamento até o 10º dia completo do início dos sintomas e só poderá suspendê-lo sem febre e sem antitérmicos por 24 horas e com desaparecimento dos sintomas.

Cenário 5: nos casos em que o indivíduo necessite fazer o isolamento de 10 dias completos após o início dos sintomas, não é necessário realizar teste de detecção do SARS-CoV-2 para suspender o isolamento diante da ausência de febre, sem uso de antitérmicos e sintomas por 24 horas.

Medidas adicionais recomendadas pelo Ministério da Saúde

  • Usar máscara bem ajustada ao rosto, preferencialmente cirúrgica ou PFF2/N95, em casa ou em público.
  • Evitar contato com pessoas imunocomprometidas ou que apresentem fatores de risco para agravamento da Covid-19, como também locais com aglomerações de pessoas, como transporte público ou onde não seja possível manter o distanciamento físico.
  • Não frequentar locais onde não possa ser usada a máscara durante todo o tempo, como restaurantes e bares; e evitar comer próximo a outras pessoas tanto em casa como no trabalho, por pelo menos 10 dias completos após o início dos sintomas.
  • Não viajar durante o seu período de isolamento. No caso de interromper o isolamento antes do 10º dia do início, orienta-se fazer o teste molecular ou de antígeno e só viajar se o resultado for não detectado e caso esteja sem sintomas antes da viagem. Caso não seja possível realizar o teste, orienta-se adiar a viagem por pelo menos 10 dias a contar do início dos sintomas.

O diagnóstico laboratorial da Covid-19 pode ser realizado tanto por testes de biologia molecular, sorologia ou testes rápidos:

Biologia molecular: permite identificar a presença do material genético (RNA) do vírus SARS-CoV-2 em amostras de secreção respiratória, por meio das metodologias de RT-PCR em tempo real.

Sorologia: detecta anticorpos IgM, IgA ou IgG produzidos pela resposta imunológica do indivíduo em relação ao vírus, podendo diagnosticar doença ativa ou pregressa.

Testes rápidos: Estão disponíveis dois tipos de testes rápidos, de antígeno e de anticorpo. O teste rápido de antígeno detecta proteína do vírus em amostras coletadas de naso/orofaringe, devendo ser realizado na fase aguda da infecção e o teste rápido de anticorpos detecta IgM e IgG (fase convalescente), em amostras de sangue, soro ou plasma.

Fonte: CNN BR

Outros Posts