domingo, 26 de maio de 2024

Empresa criada pela Cagece vai gerar energia renovável

‌Uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) criada para gerar energia renovável para consumo próprio e, posteriormente, comercialização. Esse é o intuito da Sane, uma parceria entre a Cagece e Goener Participações (empresa de energia limpa, acessível e sustentável). A iniciativa nasce com a meta inicial de instalar 10 usinas e irá utilizar investimento que gira em torno de R$ 58 milhões. A energia gerada será alternativa para proteção do meio ambiente e contenção de gastos.

‌Com o intuito de diversificar seus negócios e investir cada vez mais em sustentabilidade, a Cagece tem constituído Sociedades de Propósito Específico (SPE). Nesse sentido, agora no primeiro semestre de 2023, nasce a Sane, terceira SPE da Companhia. Como produto principal, a Sane produzirá energia fotovoltaica, com propósito inicial que prevê a instalação de 10 usinas com potência de 1MWp (megawatt-pico) cada, podendo produzir, aproximadamente, 1,2GWh (gigawatts-hora) de energia por ano.

‌Exemplificando: a energia mencionada seria suficiente para atender, anualmente, a uma média de 540 residências. A ideia é instalar as primeiras usinas da iniciativa nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE).

‌“A energia fotovoltaica é considerada estável, segura, durável e requer pouca manutenção. A geração de energia pretendida diversificará e aumentará a parcela de energia renovável da matriz energética da Cagece, contribuindo para fortalecer também sua política ambiental e autonomia energética, implicando ainda em importante redução de custos pelo fato das Companhias de Saneamento serem grandes consumidores de energia”, esclarece o superintendente de Sustentabilidade da Cagece, Ronner Gondim.

‌Segundo a coordenadora de Negócios Sustentáveis da Cagece, Kamille Sampaio, estudos do projeto demonstram que, com as primeiras 10 usinas instaladas, a Companhia economizará até 30% dos gastos com energia elétrica. “Estamos no aguardo da conclusão da análise dos projetos por parte da Enel. Após a aprovação, passaremos às fases de licenciamento ambiental, estudo e limpeza do terreno para iniciar a montagem das estruturas e dos painéis de energia fotovoltaica, que devem começar a ser instalados no início de 2024”, descreve Kamille.

‌O investimento inicial da Sane para a instalação das 10 usinas gira em torno de R$ 58 milhões, dos quais 15% serão custeados pela Cagece e 85% pela Goener. Com a expansão do negócio, a SPE deve atuar no desenvolvimento de outras fontes de energia renováveis.

‌Utilitas Pecém e VSA

A Cagece passa a estruturar, a partir de 2013, novos negócios, por meio da criação de SPE’s, junto a parceiros privados. Assim, há 10 anos, associada à empresa PB Construções, a Cagece constitui a Utilidades Industriais do Pecém (Utilitas Pecém). E, em 2021, com o Grupo Vicunha Têxtil, a Companhia institui a VSA.

‌A Utilitas Pecém tem prospectado negócios no Complexo Portuário e Industrial do Pecém (Cipp), onde centra o foco nas demandas da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e no hub de hidrogênio a ser instalado no Complexo.

‌Já a VSA tem o objetivo de instalar a Estação de Tratamento de Esgoto Industrial (ETEI), em Horizonte, para o tratamento de efluentes da Vicunha e de outras indústrias da região. No mesmo espaço, será construída uma Estação Produtora de Água de Reúso (EPAR) para o fornecimento em Pacajus e Horizonte, reduzindo impactos ambientais e aumentando a reserva hídrica da região.

Outros Posts