segunda-feira, 17 de junho de 2024

Dia Mundial da Doação de Leite Humano: campanha busca ampliar recém-nascidos beneficiados no Brasil

O mundo celebrou no domingo (19) o Dia da Doação de Leite Humano, alimento que é fundamental no início da vida da criança. O leite protege contra diarreias, infecções respiratórias e alergias, reduz em 13% a mortalidade em crianças menores de 5 anos. Também reduz o risco de desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade na vida adulta.

Dados consolidados de 2023 mostram que o Ministério da Saúde registrou a doação de 253 mil litros de leite humano a partir da ação de 198 mil mulheres. Com isso, 225.762 recém-nascidos foram diretamente beneficiados. O número é 8% maior do que o registrado em 2022 e representa 55% da real necessidade por leite humano no Brasil.

Com o objetivo de ampliar ainda mais esse quantitativo, o Ministério da Saúde lançou, em 6 de maio, a campanha ‘Doe leite materno: vida em cada gota recebida’. A meta para 2024 é ampliar mais 5% a oferta de leite materno a recém-nascidos internados nas unidades neonatais do país.

Estima-se que a cada ano 340 mil bebês brasileiros prematuros ou de baixo peso nasçam no País, o que corresponde a 12% do total de nascidos vivos. O secretário de Atenção Primária, Felipe Proenço, fez um chamado à população sobre a importância de se doar leite humano. “É preciso dizer o quanto isso melhora a vida das crianças que estão numa fase fundamental de seu crescimento e do seu desenvolvimento. Também da importância da Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH), que tem crescido no Brasil”, destacou o secretário.

Incentivo à mulher trabalhadora que amamenta

A campanha nacional de incentivo ao aleitamento em 2024 também terá foco no apoio à mulher trabalhadora que amamenta. O Ministério da Saúde estimula e certifica empresas que mantêm salas de apoio à amamentação seguindo diretrizes nacionais. Atualmente, são 274 salas certificadas em todo o país. O espaço permite a coleta e o armazenamento de leite por mães trabalhadoras, além de ser ponto de apoio e conforto para lactantes com seus bebês.

Em 2023, a pasta anunciou que as salas vão integrar o projeto das novas Unidades Básicas de Saúde e um projeto piloto está implementando salas de apoio à amamentação em unidades já em funcionamento, começando em cinco estados: Pará, Paraíba, Distrito Federal, São Paulo e Paraná.

Outros Posts