segunda-feira, 27 de maio de 2024

Desemprego no Ceará recua no primeiro trimestre de 2023

O desemprego no Ceará recuou 1,4 ponto porcentual no primeiro trimestre deste ano em relação a igual período do ano passado. Entre janeiro e março de 2023, o índice chegou a 9,6%. Quando comparado ao trimestre imediatamente anterior (outubro a dezembro de 2022), por questões sazonais, o desemprego subiu 1,8 ponto porcentual. Os dados têm como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Além da taxa de desemprego, em relação ao primeiro trimestre do ano anterior, percebemos também uma redução no número de profissionais subocupados e desalentados, que normalmente afeta os trabalhadores mais vulneráveis. Isso reflete em uma melhoria da qualidade dos vínculos e também uma maior expectativa dos trabalhadores que estavam fora da força de trabalho de se inserirem,” ressalta o secretário do Trabalho, Vladyson Viana.

Diante dos dados, o mercado de trabalho cearense, em termos da taxa de desemprego, revela melhora. De fato, em números absolutos, ao comparar os dois períodos o número de ocupados cresceu 140 mil, enquanto para os desocupados ocorreu uma redução de 47 mil. Os números podem ser conferidos no Termômetro do Mercado de Trabalho (1º Trimestre/2023) que acaba de ser publicado pela Diretoria de Estudos Econômicos (Diec) do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Estado do Ceará.

O autor do trabalho, o analista de Políticas Públicas do Ipece, Daniel Suliano, destaca também a redução absoluta dos subocupados por insuficiência de horas e dos desalentados quando comparados ao mesmo trimestre do ano anterior. Os subocupados por insuficiência de horas reduziram em 81 mil e os desalentados 88 mil. Outro ponto que o analista chama atenção é para o fato de que o percentual de trabalhadores informais no Ceará vem reduzindo, tendo alcançado 52,7% nesse primeiro trimestre de 2023.

A taxa de participação do Estado do Ceará, no primeiro trimestre de 2023, ficou em 51,5%, valor acima do registrado no primeiro trimestre de 2022, quando havia sido de 50,9%. Essa taxa é também superior ao 50% do primeiro trimestre de 2021, mas bem abaixo dos 56,6% do primeiro trimestre de 2020 e, portanto, antes da pandemia da Covid-19 – explica.

O analista de Políticas Públicas observa que a taxa de participação do mercado de trabalho cearense vem se mantendo abaixo do período pré-pandêmico, momento caracterizado por uma severa quebra estrutural na série histórica. A partir de uma média comparada entre os períodos pré e pós-pandêmico, a taxa de participação estadual reduziu 4,2 pontos percentuais.

Outros Posts