sábado, 20 de julho de 2024

Complexo Ambiental Caminhos do Horto oferta Oficina Tirando tinta de “pedra” na escola Alaíde Silva Santos

A oficina Tirando tinta de “pedra”, de Francynne Galdino e Filipe Alves, estará na E.E.M. Alaíde Silva Santos, nos dias 17, 18, 19, 24, 25 e 26 de abril, das 9h às 13h, proporcionando aos alunos conexões e técnicas artísticas da arte rupestre e indígena, presentes na Chapada do Araripe.

A oficina pretende apresentar os grafismos indígenas e seus meios de produção a partir de um pensamento de ressignificação contemporânea, visando investigar os contextos culturais e históricos de acordo com a bagagem de cada participante. Como segunda etapa, a ação educativa propõe realizar uma investigação prática a respeito dos pigmentos minerais, repassando técnicas de preparação e tinturas naturais, experimentando diversos suportes e possibilidades de conexões com os grafismos desenvolvidos pelos participantes ao longo da partilha e trazer possibilidades de criação artística, apresentando uma fala sobre arte rupestre e grafismos indígenas da Chapada do Araripe, produzidos pelos povos Kariris. Serão apresentadas imagens impressas com intuito de provocar possibilidades de reprodução e ressignificação através da forma de comunicação dos povos originários. Através da produção de tintas naturais, os participantes poderão adentrar no universo dos pigmentos minerais e compreender a importância da utilização dos elementos locais, assim como da conscientização e cuidado com a terra, por meio da produção da própria tinta, que contempla várias etapas que vão desde a trituração da rocha, peneirar, misturar com o aglutinante e produzir a cor.m

Sobre Francynne Galdino

Francynne Galdino é artista, professora, pesquisadora, graduada em Artes Visuais pela Universidade Regiona do Cariri – URCA, com especialização em Educação Infantil pela URCA. Foi bolsista do Subprojeto Artes Plásticas e Visuais do programa institucional de iniciativa a docência – PIBID (2014-2016). Foi bolsista residente do Programa Residência Pedagógica, Subprojeto de Artes Visuais(2020-2022).

Professora – facilitadora da oficina Tirando tinta de “Pedra”: O fazer artístico através de pigmentos minerais. Foi integrante do Grupo de Pesquisa Ateliê de Pintura: possibilidades e descobertas sobre os materiais e técnicas pictóricas.

Sobre Filipe Alves

Filipe Alves é artista visual formado em licenciatura pela URCA, pesquisador de cultura popular e ancestralidade, atualmente membro do Conselho Municipal de Política Cultural – Nova Olinda – CE, cidade onde mora. Ao longo de sua carreira realizou a exposição “A CASA”, com a artista Isabel, exposta por convite de um dos maiores festivais de HQ de Portugal “AMADORA-BD” e “Festival Internacional de BD de Beja”. Realizou também uma exposição individual de nome: “santa Fé – História Gravada no Tempo” e Exposição de suas obras na Galeria ARTE EM LA RED-

CASAMERICA, Madri – Espanha.

Filipe foi bolsista da PROEX/URCA, PIBIC e PIBID, com pesquisas em arte e atualmente é membro do grupo de pesquisa da CAPES Ateliê de Pintura. Foi responsável por criar o primeiro protótipo de educativo do Museu do Ciclo do Couro – Memorial Espedito Seleiro.

Outros Posts