domingo, 26 de maio de 2024

Com mais de 25 mil cirurgias eletivas realizadas em 2023, unidades estaduais iniciam operações do Programa Nacional de Redução de Filas

Desde janeiro deste ano, considerando os planos federal e estadual e também as ações de rotina, mais de 25 mil cirurgias eletivas já foram realizadas na rede Sesa e unidades credenciadas, sem incluir procedimentos de urgência.

O governador Elmano de Freitas, que visitou o Helv na manhã desta segunda-feira, acompanhado da secretária da Saúde do Ceará, Tânia Mara Coelho, falou do trabalho para reduzir a fila de espera dos cearenses por cirurgias no Sistema Único de Saúde (SUS). “Estamos nessa campanha para reduzir a espera das pessoas pelas cirurgias. Hoje, visitei e conversei com pacientes, que aguardavam as cirurgias há muitos anos, e que estão tendo agora a oportunidade de superar seus sofrimentos. Testemunhei o grau de profissionalismo [da equipe de saúde]. Um orgulho para o Estado, seja pela quantidade de cirurgias já realizadas e pela qualidade dos profissionais. Já temos 60 hospitais credenciados, e queremos chegar a 69”, afirmou.

O primeiro balanço de cirurgias realizadas deve ser divulgado em agosto. Em 31 de janeiro de 2023, considerando a regulação estadual e a regulação de Fortaleza, a espera tinha 68 mil pessoas. Com investimento de quase R$ 170 milhões das iniciativas federal e estadual, a meta é realizar cerca de 45 mil procedimentos. O Programa Nacional de Redução de Filas conta com recurso federal de R$25,9 milhões e contrapartida estadual no valor de R$7,98 milhões, totalizando R$ 33,88 milhões para 15.900 cirurgias no Ceará. Pelo Plantão Cirurgias da rede estadual são previstos quase 29 mil procedimentos, com investimento inicial de R$135 milhões.

Uma das dificuldades em agilizar o andamento tem sido a falta de informações de contato atualizada dos pacientes. “A gente espera que o povo cearense consiga ter acesso a centro cirúrgico de todos os hospitais. Estamos todos envolvidos para que, no final do ano, tenhamos redução máxima na fila de cirurgias eletivas. Para isso, também contamos com a população cearense, para que atualize o cadastro. Temos WhatsApp e também é possível ligar para Secretaria da Saúde”, reforçou a titular da Sesa, Tânia Mara.

Referência em cirurgias

Unidade da rede Sesa dedicada a cirurgias eletivas, o Helv iniciou os procedimentos pelo programa federal na última segunda-feira (17). A expectativa é fazer cerca de 1.700 operações pelo PNRF nos próximos nove meses, nas áreas de otorrinolaringologia (748), urologia (468) e ortopedia (335). A unidade assumiu ainda cirurgias de outros hospitais da Rede Sesa (Hospital Regional do Sertão Central e Hospital Dr. Waldemar de Alcântara), mas que não estão no seu rol de especialidades: histerectomia (3), coloproctologia e urologia (139).

Doze pacientes estão aptos a realizar a cirurgia no Helv nesta segunda-feira. Todos já passaram por atendimento ambulatorial e realizaram exames, internando-se para realizar o procedimento cirúrgico. A equipe que participa das cirurgias é composta por 16 colaboradores, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

A auxiliar de cozinha Jacileuda Moura Cardoso, 40, moradora de São Gonçalo do Amarante, também se prepara para o momento que aguarda desde 2018, quando entrou para fila. O procedimento dela é a remoção de cálculos volumosos diretamente do rim.

“Era raro o dia que eu não me acordava com dor, vivia à base de comprimido e, nas crises, precisava me internar. A cirurgia vai melhorar a minha vida, porque vou poder trabalhar, dormir sem sentir dor”, disse Jacileuda Moura.

O Helv, que era hospital particular e estava fechado, foi equipado e adaptado pelo Estado em 2020 para atender a situação de emergência da pandemia da covid-19. O equipamento foi adquirido pelo Governo do Ceará no dia 26 de novembro de 2020 e passou a integrar de forma permanente a rede pública estadual de saúde.

A unidade tornou-se referência no atendimento a casos de média e alta complexidade, também consolidando-se no perfil cirúrgico. O Helv atende nas áreas de cirurgia geral, urologia, otorrinolaringologia (adulto e pediátrico), ortopedia e cabeça e pescoço.

Em três anos, o Helv já realizou 17.155 mil procedimentos cirúrgicos, sendo 6.946 de Otorrino; 3.663 de Urologia; 3.475 de Ortopedia; e cirurgias geral e de cabeça e pescoço. Além disso, já foram realizadas 21.594 internações; 39.341 atendimentos ambulatoriais; e 1.201.947 exames laboratoriais.

Para isso, o Hospital dispõe de 235 leitos, sendo 62 de Clínica Cirúrgica; 114 leitos de Clínica Médica; e 59 de UTI Adulto.

Outros Posts