sábado, 20 de julho de 2024

Ciops 24 anos: sensibilidade e tecnologia em defesa dos cearenses

Mais de duas décadas de serviços prestados à sociedade cearense. A Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE) celebrou, nesse domingo (22), seus 24 anos de criação. Com constantes investimentos em tecnologia e no bem-estar dos mais de 600 colaboradores, a Ciops se consagra como a maior estrutura integrada do Brasil, quando se fala em atendimento ao cidadão pelo número de emergência 190. Ao todo, 13 órgãos trabalham na Coordenadoria Integrada, entre as Forças de Segurança do Estado e parceiros.

Diariamente, 7.516 ocorrências são atendidas, em média, na Ciops. Por mês, a média é superior a 225 mil chamadas recebidas. Conforme a estatística da própria Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança, somente em 2022, foram recebidas 2.705.605 ligações com solicitações variadas, inclusive com atendimentos realizados por colaboradores bilíngues a estrangeiros turistas e residentes no Ceará.

Para o coordenador da Ciops, o coronel Aristóteles Coelho, os investimentos constantes em tecnologia e a dedicação dos colaboradores é o diferencial que faz a Coordenadoria ser um destaque em todo o país. “É uma satisfação auxiliar a população. Quando conseguimos salvar uma vida ou recuperar um bem, por exemplo, temos a sensação de dever cumprido. Isso não seria possível sem esse alinhamento das tecnologias e o empenho dos colaboradores, que precisam ter sensibilidade e empatia com quem está do outro lado, precisando do nosso trabalho”, comenta.

Colocar-se no lugar do outro é primordial para criar um vínculo entre a vítima e os colaboradores. As situações podem marcar quem está precisando de atendimento, mas também marcam quem está na escuta, na Ciops. “Uma ocorrência recente, que me marcou, aconteceu com o sargento Jairo do Corpo de Bombeiros, meu ex-aluno no Curso de Salvamento Aquático. Ele estava em uma ocorrência, quando abordou uma vítima, no mar, que caiu do kitesurf. Ele resgatou a vítima e retornou para pegar o equipamento dela. Houve um problema e o sargento ficou à deriva. Ele nadou e conseguiu se salvar. Até nos emociona, por ser alguém tão próximo. Mas o importante é que estamos aqui para servir, seja quem for. Visualizamos primeiro a vida”, relembra o 1º tenente do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), Edvaldo Albuquerque, que atua na Ciops.

Integração faz a diferença

Com uma estrutura própria, a Ciops é dividida por núcleos como Videomonitoramento, Teleatendimento, Telecomunicação, Despacho e células como Suporte Técnico e Operações Integradas. Cada uma com uma função, mas todos integrados.

“A ideia da Ciops é integrar todos os órgãos de urgência e emergência em um só número de telefone: 190. É o primeiro número de emergência que uma pessoa, quando precisa de algum tipo de ajuda, pensa em ligar. Por isso foi tão importante unificar”, comenta Sidney Alves Cavalcante, orientador da Célula de Suporte Técnico da Ciops.

A integração não se restringe aos números de emergência, mas também às Forças de Segurança que atuam na Ciops. Polícia Militar do Ceará (PMCE), Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) e Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) contam com servidores lotados na Ciops. E não somente. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Guarda Municipal de Fortaleza, Defesa Civil, Sindiônibus, Sistema de Verificação de Óbitos (SVO) e as prefeituras de Eusébio e Sobral também contam com colaboradores a serviço da Ciops, com foco no atendimento qualificado à sociedade. “O 190 é a porta de entrada de muitos serviços. Esse diálogo com tantas áreas de atuação nos auxilia a fornecer um serviço mais efetivo à população”, diz o subtenente da PMCE, Roberto Soares.

Tecnologia

O investimento em tecnologia é constante. Ferramentas como o Agilis, auxiliam na redução dos roubos e furtos de veículos. Já o Sigo 2.0 auxilia os militares do CBMCE no gerenciamento de ocorrências que chegam à Ciops. Também é importante mencionar o Sistema de Videomonitoramento, referência pelo serviço prestado à sociedade cearense. Somente em 2022, foram solucionadas 333 ocorrências com apoio desse serviço, o que representa um aumento de 177,5% em comparação com 2021, quando 120 ocorrências foram resolvidas.

“A Ciops foi criada em 1999 já com um aparato tecnológico avançado para a época. E não paramos. Constantemente, o Governo do Ceará investe em novas ferramentas modernas que auxiliam tanto o servidor que está aqui na Coordenadoria, quanto aquele que está na rua. E tudo isso para fazer um atendimento de urgência e emergência com qualidade. E em 2023, a tendência é que novos investimentos em tecnologia sejam realizados”, comenta o coordenador, coronel Aristóteles Coelho.

Por conta da integração e dos investimentos contínuos, a SSPDS-CE recebe, ao longo dos anos, visitas de comitivas de outros estados, que buscam compreender as práticas adotadas para o Ceará, para aplicação em outros pontos do Brasil.

Trotes

Os atendimentos realizados pela Ciops podem salvar vidas. Por isso, a Coordenadoria alerta para os cuidados ao repassar qualquer tipo de informação. Os trotes, além de ser um crime de falsa comunicação, causam o deslocamento indevido de viaturas e ambulâncias para uma ocorrência que não existe. Em 2022, foram 399.964 trotes feitos para a Ciops, com média mensal de 33.330 casos.

“Nosso trabalho é desempenhado em várias linhas de atuação e com apoio de todas as vinculadas e forças amigas. A nossa responsabilidade é grande, mas do outro lado, quem nos procura, também precisa ter atenção”, finaliza o inspetor da PC-CE, Daniel Menezes.

Outros Posts