quarta-feira, 29 de maio de 2024

Centros de Especialidades Odontológicas estaduais realizam rastreio de câncer bucal em pacientes com lesões suspeitas

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) indicam que o diagnóstico precoce do câncer bucal em pacientes com tumores iniciais, apresentam chances acima de 95% de cura. Ainda segundo o INCA, em 2024 são esperados 760 novos casos de câncer de boca apenas no Ceará. Na Rede da Secretaria da Saúde do Estado, 24 Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) recebem pacientes com suspeita de câncer de boca, regulados pelos municípios, para consulta, avaliação e realização de biópsia.

“Nossos CEOs estão preparados para atender qualquer paciente que apresente uma lesão suspeita de malignidade. Atualmente, estamos entregando os resultados das biópsias em um prazo máximo de 20 dias, um intervalo bem menor do que hoje é estipulado em lei federal. Em caso de positividade para câncer bucal, o paciente será redirecionado para a rede de atenção primária dos municípios (postos de saúde) que deverá inseri-lo no sistema de regulação para início do tratamento oncológico”, explica o orientador da Célula de Saúde Bucal da Sesa (Cebuc), Nalber Sigian.

Entre os principais sintomas do câncer de boca estão feridas na boca que não cicatrizam em 15 dias, nódulos no pescoço ou rouquidão persistente. “O diagnóstico precoce do câncer de boca acontece por meio de exame clínico minucioso da cavidade oral. Durante o exame, o profissional dentista deve se atentar para qualquer alteração da mucosa, como a presença de lesões ulceradas, lesões brancas ou avermelhadas e já encaminhar o paciente para o atendimento especializado dos CEOs”, afirma Sigian.

Ainda segundo o orientador da Cebuc, os Centros de Especialidades Odontológicas estaduais também realizam procedimentos mais complexos em pacientes oncológicos com outros tipos de câncer e que tiveram alguma intercorrência durante o tratamento. “Dentro do protocolo odontológico para o paciente oncológico é necessário fazer toda uma revisão dentária antes do início do tratamento para evitar que na queda da imunidade durante a quimioterapia, por exemplo, o paciente precise parar o tratamento oncológico para tratar intercorrências dentárias. Nesses casos, se o procedimento não for realizado pelo profissional do posto de saúde, o mesmo será encaminhado para nossos centros especializados”, diz.

Outros Posts