quarta-feira, 17 de abril de 2024

Ceará terá apoio do Governo Federal para garantir conectividade a escolas públicas

A Estratégia Nacional de Escolas Conectadas tem o objetivo de proporcionar internet de qualidade a todas as escolas públicas brasileiras até 2026. No Ceará, medida vai acelerar a iniciativa estadual, já em curso, de promover a conectividade nas unidades de educação por meio do Cinturão Digital.

O governador Elmano de Freitas participou, na terça-feira (26), da cerimônia de lançamento da Estratégia Nacional de Escolas Conectadas. O evento teve a presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva; do ministro da Educação, Camilo Santana; e do ministro das Comunicações, Jucelino Filho; entre outras autoridades.

“Essa é uma importante iniciativa que viabilizará o acesso à internet, por fibra óptica ou via satélite, com uma velocidade adequada para a realização de atividades pedagógicas nas escolas públicas brasileiras. O Nordeste é a região com a maior quantidade de escolas que passarão a ter internet de qualidade, totalizando 49.953 instituições. Oferecer escolas com infraestrutura de qualidade é transformar a vida dos jovens construindo um futuro com mais oportunidades”, ressaltou o governador Elmano de Freitas.

A Estratégia levará internet de qualidade, para fins pedagógicos, a mais de 138 mil escolas públicas do País. O ministro da Educação, Camilo Santana, explicou a importância dessa ação . “Por que essa é uma estratégia? Porque além de levar simplesmente a conectividade para escola, ela tem vários eixos. É uma estratégia para educar os estudantes de escolas públicas com a ajuda da internet de qualidade e também promover a cidadania digital”, pontuou. “Em levantamento que promovemos, os professores acreditam que a internet é imprescindível para o aprendizado e atrai os alunos para a escola. Não perderemos mais um aluno nas escolas públicas brasileiras”, complementou.

A Estratégia Nacional de Escolas Conectadas será executada em cinco frentes: garantindo energia elétrica por rede pública ou fonte renovável em todas as escolas; expandindo a tecnologia de acesso à internet de alta velocidade, por meio da implantação e manutenção de rede de fibra ótica, de satélites e outras soluções de alta velocidade; contratando serviço com velocidade que permita o uso de vídeos, plataformas educacionais, áudio, jogos, entre outros recursos; disponibilizando rede sem fio segura para acesso à internet nos ambientes escolares, para que turmas inteiras consigam se conectar simultaneamente à rede Wi-Fi para uso pedagógico; e disponibilizando equipamentos e dispositivos eletrônicos portáteis de acesso à internet nos parâmetros adequados.

“É importante promover a cidadania digital dentro das escolas pública brasileiras. O acesso à internet, o que se acessa, é diferente para quem está nos primeiros anos [escolares] e para quem está no Ensino Médio. Promoveremos a cidadania digital para que saibamos a importância da internet para o fim da aprendizagem, pois sabemos como as pessoas usam a internet para coisas como as fake news. Então, a cidadania digital é fundamental para o uso da internet para o bem”, explicou o ministro Camilo Santana.

Investimento nacional

A nova estratégia vai articular políticas recentes de conectividade de escolas, entre elas Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações (Fust), Programa Aprender Conectado, Lei de Conectividade (Lei 14.172/2021), Wi-Fi Brasil, Programas Norte e Nordeste Conectados e Política de Inovação Educação Conectada (PIEC).

Para isso, serão investidos R$ 8,8 bilhões para as ações relacionadas à estratégia.

Desse total, R$ 6,5 bilhões são do eixo “Inclusão Digital e Conectividade” do Novo PAC, que serão destinados à implantação de conexão de internet e rede interna nas escolas de todo o Brasil. No Ceará, são quase 6 mil escolas contempladas nesse eixo. Os R$ 2,3 bilhões adicionais serão usados para viabilizar os demais eixos da estratégia.

Outros Posts