sexta-feira, 24 de maio de 2024

Ceará tem menor taxa de desemprego do Nordeste no quarto trimestre de 2022

Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Trimestral, divulgados nesta terça-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o mercado de trabalho cearense registrou uma taxa de desemprego de 7,8% no quarto trimestre de 2022, a mais baixa taxa de desemprego do Ceará desde 2014, segundo a série histórica.

O número também é o menor registrado entre os estados do Nordeste durante o período. Na região, depois do Ceará (7,8%), vêm Maranhão (8,3%) e Alagoas (9,3%).

A população ocupada do estado chegou a 3,7 milhões de pessoas, recuperando os patamares de 2019, antes do início da pandemia. O nível de ocupação, que representa o percentual de ocupados na população em idade de trabalhar, chegou a 48,8%. No comparativo com o mesmo período do ano anterior, a redução da taxa de desemprego no Ceará marcou 3,3 pontos percentuais (11,1% no último quadrimestre de 2021).

“Após o maior impacto da pandemia, especialmente em 2020, percebemos uma retomada constante e gradual da economia, que tem refletido no mercado de trabalho. Desde o terceiro trimestre de 2021 que a taxa de desemprego vem regredindo, alcançando o patamar de 7,8%, no quarto trimestre desse ano, o que nos deixa muito felizes, pois representa mais oportunidades para os cearenses”, analisa o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Vladyson Viana, e, em breve, titular da Secretaria do Trabalho.

O rendimento médio do trabalhador, no quarto trimestre de 2022, chegou a R$ 1.776,00. “A superação desse número representa uma meta para a nossa gestão. Temos o intuito de estabelecer estratégias para ampliar estes valores e garantir um melhor rendimento para o cearense”, acrescenta Viana.

Outros Posts