terça-feira, 18 de junho de 2024

Ceará é o primeiro no Nordeste em inserções pelo Sine

Nos dois últimos anos, cerca de 90 mil trabalhadores foram inseridos no mercado de trabalho por meio do Sistema Público de Emprego no Ceará. Com 68,32% de aproveitamento das vagas captadas, o Estado se destaca em primeiro lugar na região Nordeste e em segundo no país, com maior número de colocações através das ações de intermediação de mão de obra. Os dados são do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e contabilizam todas as colocações ocorridas de janeiro a dezembro de 2021 e 2022.

Esse resultado deve-se à eficiência das políticas de geração de emprego e renda implementadas pela gestão estadual através, dentre outros, da rede de atendimento do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT/Sine), cuja capilaridade contempla uma significativa parcela dos municípios cearenses. No mesmo período, 136,4 mil vagas de emprego foram captadas pelas unidades de atendimento.

Analisadas por segmentos econômicos, as maiores ofertas de emprego em 2021 e 2022 foram demandadas pelo setor de serviços, com 50.263 solicitações, seguido da indústria (38.950), comércio (26.779) e construção civil (6.788). As ocupações com mais oportunidades de colocação, neste mesmo período, foram alimentador de linha de produção, trabalhador polivalente da confecção de calçados e vendedor de comércio varejista.

Para o secretário do Trabalho, Vladyson Viana, muito já foi feito e muito ainda há por fazer na área. “Com muito trabalho e resistência conseguimos vencer o enorme desafio da pandemia e colocar o nosso Ceará novamente no rumo certo da economia, com geração de empregos para os trabalhadores, concessão de crédito e incentivo a investimentos por parte do segmento empregador. Apesar das conquistas, ainda há bastante o que fazer e nós estamos muito comprometidos com a criação e ampliação de ações capazes de alcançar o maior número de trabalhadores, contribuindo com a economia do estado através do combate ao desemprego e às desigualdades sociais”.

Longa trajetória ao lado do trabalhador

O IDT/Sine é uma instituição sem fins lucrativos, qualificada pelo Governo do Ceará, como organização social responsável pela execução do sistema público de emprego no Estado. Com uma atuação que remonta à operacionalização do programa Sine no Estado, o IDT agrega uma expertise de mais de 40 anos, modernizando e ampliando os serviços para a população cearense.

As atividades como cadastro de trabalhadores, recrutamento, seleção e intermediação para vagas de emprego no mercado do trabalho, habilitação no seguro-desemprego, orientação profissional, atendimento especializado para pessoas com deficiência, profissionais autônomos, população LGBTQIA+ e egressos do sistema carcerário, apoio ao microcrédito e estudos sobre o mercado do trabalho, fazem do IDT/Sine um diferencial no cenário econômico e social do Ceará.

“Temos um grande orgulho pelos longos anos de atuação no Ceará, conduzindo os trabalhadores e trabalhadoras em oportunidades que significam muito em suas vidas. O IDT/Sine sempre foi, e continua sendo, muitas vezes a principal opção de quem busca conseguir um lugar no mercado de trabalho e os números revelam que, apesar das dificuldades inerentes à área, nós temos conseguido fazer muito bem o nosso dever de casa. Seguimos ampliando as parcerias para fazer cada vez mais pela nossa população”, ressalta o presidente do IDT, Raimundo Ângelo.

Casa de todos

Em 2021 e 2022, o IDT/Sine atendeu a 1.116.149 mil trabalhadores em todo o Ceará. Segundo o órgão, o serviço mais demandado é a procura por vagas de emprego. O seguro-desemprego também se destaca no atendimento. Nesse caso, ao procurar a unidade para requerer o benefício, o trabalhador também preenche um cadastro para participar do processo de intermediação visando a sua recolocação no mercado.

Acessado muitas vezes por trabalhadores que, para além de uma nova oportunidade no mercado, também buscam orientação profissional ou simplesmente um acolhimento empático em sua trajetória diária pelo emprego, o IDT/Sine reúne uma grande pluralidade de histórias, saberes, vivências e experiências compartilhadas com seu público.

Para James Pereira, ir ao IDT/Sine é muito importante para quem está à procura de uma vaga de emprego: “Passei uns quatro meses desempregado. Durante esse tempo foi um pouco difícil porque falta tudo pra gente, sem trabalho a gente não pode sobreviver, né? Eu já tinha vindo aqui no IDT outra vez, já tinha conseguido uma carta e consegui um trabalho no Pão de Açúcar. Agora, consegui uma carta de encaminhamento pro Assaí e para uma panificadora na Aldeota. Eu creio que vou conseguir, eu tenho muita fé em Deus que vou conseguir uma das vagas. Pra mim, o IDT/Sine é muito importante. Não é a primeira vez que eu precisei e fui muito bem atendido”, destaca.

Enquanto aguarda na fila para ser atendido, Francisco Wellington relembra que está há dois anos desempregado, mas mantém a confiança de sair da unidade com a sua carta de encaminhamento. “A última vez que eu consegui a carta pro Pão de Açúcar foi pelo IDT/Sine, as minhas expectativas são as melhores possíveis. Eu trabalhei doze anos no grupo Pão de Açúcar, trabalhei como operador de caixa, como embalador a mão e aí a empresa, no período da pandemia, teve alguns cortes, mandaram muita gente embora e aí eu fui também. No momento, tô reformando a minha casa e tô precisando de um trabalho urgente para concluir. Os dois anos desempregado foram sufocantes, porque aí eu trabalhei de bicos, fazendo alguma coisa aqui e ali pra me manter. O trabalho é importante porque dá dignidade ao trabalhador”.

Intermediação de profissionais autônomos

Paralelo à intermediação de mão de obra para o setor formal, o IDT/Sine também possui uma longa tradição no setor informal, captando demandas do mercado por profissionais que prestam serviços de forma autônoma. Para tanto, o órgão mantém um banco de trabalhadores de diversas áreas, qualificados para o encaminhamento.

Somente em 2022, o IDT/Sine encaminhou 15.067 profissionais para serviços. O dado corresponde a um acréscimo de 37% com relação ao que foi realizado no ano anterior (11.005), gerando um aporte financeiro de R$ 1.967.537,90 na economia do estado, além de contribuir com a geração de ocupação e renda dos trabalhadores que atuam com prestação de serviços.

Segundo dados do atendimento, as funções mais comumente demandadas são faxineira, serviços gerais e passadeira. Além disso, o banco de profissionais cadastrados para os serviços também conta com garçons, babás, cozinheiros, técnicos em refrigeração, marceneiros, professores de reforço escolar, personal organizer, massoterapeutas, motoristas, cuidadores de idosos, aplicador de vinil autoadesivo, dentre outros.

Quem deseja atuar como profissional autônomo pode procurar as unidades de atendimento para fazer o seu cadastro. O IDT oferece uma palestra informativa para os interessados, onde são repassadas as informações sobre como funciona o serviço, os direitos e responsabilidades da ocupação.

Para solicitar, o interessado pode entrar em contato com o órgão através da Central de Atendimento ao Cliente no número 08005910363, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, ou pelo whatsapp (85) 2180.6210. A tabela com os valores está disponível na página do IDT na internet. 

Outros Posts