segunda-feira, 15 de julho de 2024

Ceará é o estado brasileiro com maior incidência de chikungunya em 2022; Cariri soma mais de 10 mil casos

O Ceará é o estado brasileiro com maior incidência de chikungunya neste ano, conforme o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), divulgado na sexta-feira (9). Os dados apontam que, até 5 de setembro, o Estado registrou 49.307 casos, de um total de 162.407 casos prováveis de chikungunya no Brasil.

O cenário cearense equivale à maior incidência da doença no País, com 533,6 casos a cada 100 mil habitantes.

O documento também mostra que Fortaleza lidera a lista dos municípios que apresentam os maiores registros de casos prováveis de chikungunya neste ano. São, ao todo, 18,3 mil casos. No ranking das 10 cidades, o Estado compõem a metade da lista das regiões.

No ranking, além da Capital, encontram-se ainda Brejo Santo, Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, localizados na região do Cariri cearense. Os municípios acumulam, respectivamente, 3,6 mil, 3,3 mil, 2,8 mil e 1,9 mil casos da doença neste ano.

Em relação aos óbitos, o Ceará concentra 46% dos casos. Dos 64 brasileiros que perderam a vida para chikungunya, 30 eram do Ceará. O boletim do Ministério da Saúde também alerta para os óbitos que estão em investigação.

Ao todo, são 45 óbitos em investigação no País. Os dados do levantamento também apontam a região Nordeste como a com maior incidência de casos do Brasil, com 243,7 casos por 100 mil habitantes.

No ranking dos estados com maiores casos prováveis de chikungunya, logo após o Ceará, vem Pernambuco (19.889 casos), Paraíba (18.131), Bahia (16.939), Rio Grande do Norte (13.530), Piauí (8.996) e Alagoas (8.1665).

 

Outros Posts