sexta-feira, 24 de maio de 2024

Ceará completa dois anos de vacinação contra covid-19 com mais de 24 milhões de doses aplicadas

“Foi uma surpresa para mim, uma experiência muito boa, porque eu não esperava ser a primeira a receber a vacina. Muitas pessoas foram protegidas pela vacina”. É com alegria que a técnica de enfermagem Maria Silvana Souza dos Reis, de 54 anos, relembra o momento em que se tornou a primeira pessoa a ser vacinada contra a covid-19 no Ceará, em 18 de janeiro de 2021. Dois anos depois, mais de 24 milhões de doses de imunobiológicos foram aplicadas na imunização dos cearenses.
Silvana atua no Hospital Estadual Leonardo Da Vinci (Helv) desde o início da pandemia, quando a unidade hospitalar foi solicitada e reestruturada pelo Governo do Ceará para atender pessoas com os casos mais graves da doença. O Helv tornou-se referência em atendimento e, atualmente, integra a rede pública estadual de saúde de forma permanente.

O Hospital alcançou, no período de outubro de 2020 a dezembro de 2022, a marca de 13 mil procedimentos cirúrgicos realizados nas áreas de Otorrinolaringologia, Urologia, Ortopedia, Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Além disso, foram realizadas mais de 29 mil consultas ambulatoriais. Hoje, mais de 1.100 profissionais de diferentes áreas atuam no equipamento, compondo equipe multidisciplinar capacitada para o atendimento à população cearense.

Sobre a covid, o atual cenário epidemiológico no Ceará mostra controle, segundo o Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia, que realizou reunião na manhã desta quinta-feira (19). O estado registra baixo número de casos e óbitos, o que demonstra que o quinto ciclo da doença chegou ao fim.

Após a reunião, o governador do Ceará, Elmano de Freitas, anunciou, em publicação nas redes sociais, “que o uso de máscaras deixa de ser recomendado para locais fechados com aglomeração e nos transportes coletivos. A recomendação continua apenas para idosos, gestantes, pessoas com comorbidades e, principalmente, todas aquelas que estejam com sintomas gripais. O uso continua a ser obrigatório nas unidades de saúde”, escreveu o governador. As medidas começarão a vigorar a partir da publicação do novo decreto.

Apesar de ser um momento de mais tranquilidade no que diz respeito à pandemia, os cuidados individuais devem ser mantidos, principalmente por conta do início do período chuvoso. É o que observa a infectologista e diretora clínica do Hospital São José, Christianne Takeda. “Nos meses de dezembro a abril, enquanto perduram as chuvas no Ceará, vemos o aumento das infecções respiratórias virais, acometendo principalmente crianças e pessoas de idade avançada. Assim como acontece para a covid, que ainda circula na comunidade, a máscara, cobrindo a boca e nariz, a higienização das mãos, o distanciamento social, bem como as vacinas contra a gripe e a covid, fazem diferença”, explica.

As vacinas, seja para covid ou influenza (gripe), segundo a infectologista, diminuem as chances de agravamento. “É importante que as pessoas busquem os postos de vacinação. Quem ainda não completou o esquema vacinal para covid, complete. Isso evita que, caso pegue a doença, evolua para os sintomas graves. Para quem está com sintomas que lembram as doenças virais, é interessante, principalmente pessoa acima de 60 anos, buscar a atenção médica, porque temos medicação no SUS [Sistema Único de Saúde] contra isso. Além disso, temos anualmente a campanha de vacinação contra a gripe”, reforça.

Outros Posts