terça-feira, 18 de junho de 2024

Brasileira comenta sobre os dias de guerra em Israel

Tudo acontecia normalmente. Idas ao teatro, passeios, um sonho para quem é judia religiosa e já mora há quatro anos em Jerusalém. Mariana amorim é de Campina Grande-PB.  Entretanto, desde o último sábado, israel é atacada pelo grupo extremista Hamas, e foi instaurado o clima de guerra. Ela mora com três amigas em Jerusalém, Raquel Vital, Ingrid Cariri e Ester Guimarães Santana.

“Eu vim para Israel em 2019, inicialmente para estudar, estudos judaicos, religiosos e históricos, depois decidi estabelecer residência. A principal razão é ser judia, morar em Jerusalém era um sonho,” afirou Mariana.

Com quase uma semana de guerra, a rotina de quem mora em Jerusalém, Israel foi completamente alterada. O regime agora é de isolamento total.  Saídas de casa apenas para trabalhos voluntários e aquisição de mantimentos.

“Na última quinta-feira estávamos indo ao teatro, no sábado acordamos com mísseis. Agora estamos trancadas em casa, a polícia manda evitar sair, pelos terroristas espalhados e os mísseis,” completou Mariana.

Diariamente Mariana mantém contato com os familiares e amigos que estão no Brasil.  Ainda não há previsão para o fim do conflito. A Força Aérea Brasileira já enviou aeronaves para resgatar brasileiros em solo israelense, questionada se tinha desejo de retornar o Brasil, ela afirmou que fica em Israel, na paz e na guerra.

 

 

 

Outros Posts