domingo, 25 de fevereiro de 2024

Pinacoteca do Ceará realiza seminário para debater a importância da classificação indicativa nos espaços museológicos

Em parceria com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA),  o Governo do Ceará debaterá a classificação indicativa adotada pelo Brasil, efetivando a co-responsabilidade entre família, sociedade e Estado na garantia da educação, lazer, cultura, respeito e dignidade às crianças e adolescentes. Essa política pública informa a idade não recomendada para acesso a obras, no intuito de informar aos pais, garantindo-lhes o direito de escolha.

O assunto, de relevância nacional, será debatido em seminário organizado pela Pinacoteca do Ceará, museu integrante da Rede Pública de Equipamentos da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ceará), gerido em parceria com o Instituto Mirante Ceará. Autoridades e especialistas estarão reunidos para refletir sobre a importância da classificação indicativa nos espaços museológicos e seu papel na promoção do direito à cultura na infância e adolescência.

O seminário, intitulado “O direito à cultura na infância e adolescência: classificação indicativa e mediação cultural em museus”, acontecerá nesta quinta-feira (08), das 14h às 19h, no auditório da Pinacoteca do Ceará. O evento é aberto ao público e terá capacidade para 100 pessoas, sendo acessível em Libras. 

 

A programação inclui duas mesas de debate:

  • 14h – Mesa 1: “Classificação indicativa no Brasil”, com Eduardo Nepomuceno, Carmen S. Oliveira, Vagner de Farias e mediação de Glória Diógenes.
  • 17h30 – Mesa 2: “Classificação indicativa e mediação cultural em museus”, com Gleyce Heitor, Luciano Tonet e mediação de Alexandre Barbalho.

*Por Bianca Duarte com supervisão de Pedro Paulo Vieira

Outros Posts