sábado, 02 de março de 2024

Solenidade de entrega da Comenda Violeta Arraes será realizada em Nova Olinda

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) confere a Comenda Violeta Arraes para a arqueóloga Rosiane Limaverde (in memoriam) e a diretora Bia Lessa. A Comenda tem o propósito de homenagear pessoas físicas ou jurídicas com notórios serviços em prol da cultura, da educação, do conhecimento ou dos direitos humanos. A cerimônia de entrega acontece na próxima quarta-feira (14), às 19h, no Teatro Violeta Arraes – Engenho de Artes Cênicas, em Nova Olinda, sendo parte da programação do aniversário de 30 anos da Fundação Casa Grande, de 14 a 19 de dezembro.

A Comenda Violeta Arraes foi instituída pela Lei Nº17.970, de 17 de março de 2022, que se destina a homenagear pessoas físicas ou jurídicas que tenham prestado ou prestem notórios serviços em prol da cultura, da educação, do conhecimento ou dos direitos humanos. A concessão da Comenda será de iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado – Secult e tem como perfil apontar pessoas que tragam atuação no âmbito da cultura, da educação, do conhecimento ou dos direitos humanos; e autor de trabalho de notório mérito no âmbito da cultura, da educação, do conhecimento ou dos direitos humanos.

A Secult Ceará homenageia com a Comenda Violeta Arraes duas mulheres muito importantes para a Cultura: Rosiane Limaverde (in memoriam) e Bia Lessa. Conheçam um pouco mais sobre elas:

Rosiane Limaverde

Fundadora da Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, instituição filantrópica e cultural em Nova Olinda – CE, onde realizou atividades de pesquisas arqueológicas e educativas desde 1992, com a participação de crianças e jovens sertanejos nas áreas de Memória, Comunicação, Artes, Turismo e Esporte. Com formação em música e educação, realizou desde 1983 atividades de pesquisas sobre as lendas e mitos do povo Kariri.

Graduada em História com Especialização em Pré-História do Brasil na Universidade Regional do Cariri, URCA, Crato, Brasil; Mestre em Arqueologia na Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Recife, Brasil com o Título: Os Registros Rupestres da Chapada do Araripe, Ceará, Brasil; Doutora em Arqueologia com distinção e louvor pela Universidade de Coimbra- Portugal Centro de Estudos Arquológicos das Universidades de Coimbra e Porto com o Título: “Arqueologia Social Inclusiva – A Fundação Casa Grande e a Gestão do Patrimônio Cultural da Chapada do Araripe”.

Entre 2014 e 2016 criou e realizou o primeiro curso de Extensão em “Arqueologia e Gestão do Patrimônio Cultural da Chapada do Araripe” em parceria com a Fundação Casa Grande e Universidade Regional do Cariri (URCA). Em 2015 criou o Instituto de Arqueologia do Cariri em parceria com a Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri, Universidade Regional do Cariri (URCA), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Universidade de Coimbra – Portugal que será reinaugurado com o nome Instituto de Arqueologia do Cariri Dra. Rosiane Limaverde. Em 2016 criou o primeiro curso no Cariri de Graduação Latu Sensu em Arqueologia Social Inclusiva. A especialização é realizada pela Universidade Regional do Cariri através da Pró- Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, tem como parceiros com o Instituto de Arqueologia do Cariri e Fundação Casa Grande, e como apoiadores o GeoPark Araripe e a Universidade Federal do Piauí, Universidade de Coimbra – Portugal, através do Centro de Arqueologia, Artes e Ciências do Patrimônio. Em 2018 a Universidade de Coimbra – Portugal passará a homenagear pessoas que se destacarem na área da arqueologia com a Comenda que levará o nome de Rosiane Limaverde. A primeira será entregue em dezembro de 2018.

Outros Posts