domingo, 25 de fevereiro de 2024

Brasil registra recorde de denúncias de exploração sexual infantil na internet em 2023

Em 2023, o Brasil registrou o maior número de denúncias de exploração sexual infantil da história. Ao todo, foram contabilizadas 71.867 queixas, o que representa um aumento de 77,1% em comparação com 2022. Antes desse recorde, 2008 era até então o ano que concentrava o maior número de denúncias, com 56.115 notificações na época. O levantamento desses dados foi feito pela organização não governamental (ONG) Safernet e publicado na última terça-feira, dia 6.

Conforme ressalta a Safernet, entre os fatores que contribuíram para o aumento desses casos estão as demissões dos profissionais das big tech, responsáveis pela segurança, integridade e moderação de conteúdo; o aumento da comercialização de imagens de nudez e sexo autogeradas por adolescentes; e a utilização da inteligência artificial para produzir imagens com esse tipo de conteúdo.

Ainda de acordo com a Safernet, ao adicionar à quantidade de denúncias de exploração sexual infantil outros crimes de ódio, como xenofobia, racismo, tráfico de pessoas, intolerância religiosa, neonazismo, apologia a crimes contra a vida, LGBTfobia e misoginia, o Brasil também registra um recorde. No ano passado, a ONG registrou um total de 101.313 denúncias, um aumento de 13,5% em relação a 2008, quando o país registrou 89.247 notificações.

Entre os crimes de ódio praticados virtualmente com maiores altas, destacam-se a xenofobia, com um aumento de 252,25%, e a intolerância religiosa, com um aumento de 29,97%, ambas comparadas a 2022. Conforme a Safernet, os índices são sintomas da guerra na Faixa de Gaza, na Palestina.

Os crimes de racismo, LGBTfobia e misoginia apresentaram queda em comparação a 2022: -20,36%, -60,57% e -57,56%, respectivamente. Para a Safernet, essas quedas já eram esperadas, tendo em vista que tais crimes tendem a crescer mais em épocas eleitorais.

 

Por Rafael Silva com supervisão de Pedro Paulo Vieira

Outros Posts